Corregedoria - 10/04/2017 - 13:41:55
28ª Vara Cível e Ceij promovem curso para adoção
Equipe multidisciplinar abordou temas referentes a aspectos sociais, psicológicos, pedagógicos e jurídicos do tema

Juíza Laila Kerckhoff tratou sobre os aspectos jurídicos da adoção. Juíza Laila Kerckhoff tratou sobre os aspectos jurídicos da adoção. Foto: Caio Loureiro
28ª Vara Cível e CEIJ promovem curso preparatório para adoção

    A 28ª Vara Cível da Capital - Infância e Juventude e a Coordenadoria Estadual da Infância e Juventude (Ceij), da Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ/AL), realizaram curso preparatório para pessoas que pretendem adotar crianças de casas de acolhimento de Maceió. O evento ocorreu no auditório da Associação Alagoana de Magistrados (Almagis), na manhã desta segunda-feira (10).

    O encontro contou com a presença da equipe multidisciplinar da Ceij e da 28ª Vara, que abordou temas referentes a diversos aspectos da adoção, envolvendo questões psicológicas, pedagógicas e jurídicas.

    Jussara Pacheco, coordenadora do setor técnico da 28ª Vara Cível e assistente social, explicou o objetivo do curso. “A intenção não é ensinar como ser pai e mãe, mas informar para esses pretensos pais o que é realmente adoção e qual a necessidade de saber sobre o tema em todos os aspectos”.

    A juíza Laila Kerckhoff, representante da Ceij, esclareceu dúvidas e orientou a respeito da parte jurídica da adoção, além de abordar outros assuntos, como o cadastro nacional de adoção do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

    “Esse curso é muito importante, porque esclarece tanto os aspectos jurídicos quanto os aspectos sociais, psicológicos e pedagógicos, orientando essas pessoas que pretendem adotar. E essa orientação contribui muito para o sucesso de uma adoção”, destacou a magistrada.

    Para abordar as questões psicológicas da adoção, a psicóloga Camila Loiola tratou sobre alguns conceitos que as famílias devem trabalhar com as crianças e adolescentes adotados.

    “Da parte da psicologia nós buscamos trabalhar as expectativas dos pretendentes à adoção com relação a essa criança ou adolescente que vai vir, desmistificando algumas ideias. Procuramos trabalhar alguns aspectos que eles já trazem nas entrevistas, como em relação ao desenvolvimento da criança adotada. Falamos sobre como esses pais devem falar para a criança sobre a adoção e também a utilização de materiais lúdicos, como livros e filmes”, explicou.

    Mozart Cerqueira, servidor público federal, e sua esposa, Valdinez Silva de Lima, contaram que as informações fornecidas no curso auxiliam no conhecimento da trajetória que eles terão que passar até concluírem o processo de adoção.

    “Há vários anos nós decidimos adotar, mas acreditamos que o momento mais propício seja esse. Foi ótimo participar desse curso, porque tocaram em vários pontos importantes e nos deram uma visão mais ampla do que nós passaremos, pois filhos transformam a vida das pessoas. Ninguém consegue permanecer com o mesmo tipo de vida quando aceita ser pai ou mãe”, comentou Mozart.


    O curso preparatório é obrigatório por meio da nova lei de adoção, desde 2009, e consta no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Graziela França - Dicom TJ/AL
imprensa@tjal.jus.br - (82) 4009-3141/3240



Curta a página oficial do Tribunal de Justiça (TJ/AL) no Facebook e acompanhe nossas atividades pelo Twitter. Assista aos vídeos da TV Tribunal, visite nossa Sala de Imprensa e leia nosso Clipping. Acesse nosso banco de imagens. Ouça notícias do Judiciário em nosso Podcast.