Corregedoria - 16/07/2019 - 13:30:13
Mais 200 armas vinculadas a processos criminais conclusos são destruídas
Corregedoria Geral da Justiça (CGJ/AL) já entregou 885 unidades ao 59º Batalhão de Infantaria Motorizado (59º BIMtz); arsenal é destruído em Recife, Pernambuco

Destruição atende à Resolução nº 134/2011 do CNJ. Foto: Itawi Albuquerque Destruição atende à Resolução nº 134/2011 do CNJ. Foto: Itawi Albuquerque

A Corregedoria Geral da Justiça de Alagoas (CGJ/AL) determinou a destruição de mais 200 armas pelo Exército Brasileiro. O arsenal foi entregue pelo juiz auxiliar da CGJ/AL, Antônio Rafael Casado, e pelo supervisor do Centro de Custódia, Nelson Brandão de Miranda, ao tenente Cláudio Cruz, do 59° Batalhão de Infantaria Motorizado (59º BIMtz). Arsenal é destruído em Recife, Pernambuco.

Desde o início do ano, já foram liberadas 885 armas para a destruição, atendendo à Resolução nº 134/2011 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e à determinação do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL). O material é vinculado a processos criminais conclusos e oriundo de diversas unidades de Alagoas.

O juiz auxiliar Antônio Rafael Casado destacou que o compromisso da Corregedoria é encaminhar, mensalmente, o maior número de armas para a destruição.

“Todas essas armas são submetidas a um rigoroso controle por parte do Judiciário e a destruição delas representa mais tranquilidade à sociedade, uma vez que não serão mais utilizadas para o cometimento de crimes no Estado”, comentou o juiz.


Procedimento

As armas de fogo são entregues pela Polícia Militar à Polícia Civil. Logo após, são periciadas e devolvidas à delegacia, para serem entregues ao Tribunal de Justiça com laudo. No TJAL, elas são cadastradas e codificadas com identificação da unidade judiciária de origem. Além de atender à resolução do CNJ, a medida também cumpre determinação do Tribunal de Justiça de Alagoas.


Niel Antonio – Ascom CGJ/AL

imprensacgj@tjal.jus.br - (82) 4009-7167


Curta a página oficial do Tribunal de Justiça (TJ/AL) no Facebook e acompanhe nossas atividades pelo Twitter. Assista aos vídeos da TV Tribunal, visite nossa Sala de Imprensa e leia nosso Clipping. Acesse nosso banco de imagens. Ouça notícias do Judiciário em nosso Podcast.