Notícia

início>Notícia

Mulher - 08/01/2021 - 14:09:47
Casa da Mulher Alagoana vai fortalecer combate à violência doméstica, afirma Tutmés Airan
Presidente do TJAL inaugurou equipamento nesta sexta (8); local vai reunir diversos órgãos da rede de proteção às mulheres

Tutmés Airan e autoridades do Legislativo e do Executivo participaram da inauguração da Casa da Mulher Alagoana, nesta sexta (8). Tutmés Airan e autoridades do Legislativo e do Executivo participaram da inauguração da Casa da Mulher Alagoana, nesta sexta (8). Foto: Caio Loureiro
Casa da Mulher Alagoana vai fortalecer combate à violência doméstica, afirma Tutmés Airan
A união de esforços entre Tribunal de Justiça, Assembleia Legislativa e Governo do Estado possibilitou a inauguração da Casa da Mulher Alagoana, nesta sexta-feira (8), em Maceió. De acordo com o presidente do TJAL, Tutmés Airan, o equipamento vai fortalecer o combate à violência doméstica no estado. 

"Tenho muito orgulho dessa obra. Ela veio para reforçar o combate a esse crime covarde e insidioso, praticado muitas vezes em um espaço que deveria ser de amor e proteção", lembrou o desembargador.  

A Casa da Mulher Alagoana Nise da Silveira reunirá Juizado, Delegacia Especializada, Patrulha Maria da Penha, Defensoria, Ministério Público e outros serviços voltados para a proteção das vítimas de violência doméstica. Funcionando na Praça Sinimbu, no Centro, o local contará ainda com alojamento temporário, salas de atendimento psicossocial, brinquedoteca e centro de mediação e conciliação.

A secretária da Mulher e dos Direitos Humanos de Alagoas, Maria José da Silva, parabenizou pela iniciativa e disse ser preciso mudar o quadro de violência doméstica no estado. "Precisamos diminuir os índices desse crime e, para isso, é fundamental que os poderes se unam. Juntos somos mais fortes", ressaltou.

Um programa de encaminhamento das mulheres para capacitação e emprego também funcionará na estrutura, por meio de parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AL). De acordo com a coordenadora da Casa, Érika Lima, concentrar os órgãos em um só espaço vai evitar que a mulher percorra "uma verdadeira via crucis" na hora de denunciar ou buscar proteção. "Elas não precisarão mais andar de órgão em órgão. Aqui terão um atendimento humanizado, sem preconceito", garantiu. 


Casa da Mulher Alagoana funciona ao lado da Praça Sinimbu, no Centro de Maceió. Foto: Caio Loureiro


Para o juiz José Miranda, auxiliar do Juizado da Mulher da Capital, a concentração dos órgãos evita a chamada revitimização. "É importante as mulheres não terem que passar por vários lugares contando a mesma história, se repetindo e sofrendo com o que aconteceu. Além de poderem ter um atendimento mais rápido em todas as áreas".

Os serviços da Justiça já estão funcionando, mas não presencialmente, por causa da pandemia. Os demais órgãos devem começar a atender, segundo o magistrado, nos próximos dias.

A deputada estadual Ângela Garrote também participou da inauguração e afirmou que o equipamento é um marco para Alagoas. "Esse espaço vai defender as mulheres e ser referência", disse.

O prefeito de Maceió, JHC, assegurou que o Executivo Municipal apoia a iniciativa. "Temos que cultivar essa semente que foi plantada hoje. No que depender de mim, podem contar com a Prefeitura".


Ao lado da coordenadora Érika Lima, presidente do TJAL conheceu o alojamento que será disponibilizado na Casa da Mulher. Foto:  Caio Loureiro

Diego Silveira - Dicom TJAL
imprensa@tjal.jus.br 


Curta a página oficial do Tribunal de Justiça (TJ/AL) no Facebook e acompanhe nossas atividades pelo Twitter. Assista aos vídeos da TV Tribunal, visite nossa Sala de Imprensa e leia nosso Clipping. Acesse nosso banco de imagens. Ouça notícias do Judiciário em nosso Podcast.