Juizados Especiais 06/02/2017 - 16:27:39
Colégio deve pagar indenização por cobrar mensalidade mais cara de criança com autismo
Segundo a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, instituição de ensino não pode cobrar qualquer valor adicional em razão das necessidades especiais do aluno

Colégio deverá restituir os valores a mais pagos pela mãe do aluno. Colégio deverá restituir os valores a mais pagos pela mãe do aluno. Arte: Dicom
Colégio deve pagar indenização por cobrar mensalidade mais cara de criança com autismo

    A juíza Adriana Carla Feitosa Martins, do 9º Juizado Especial Cível e Criminal de Maceió, condenou um colégio da Capital a restituir R$ 14.670,00 a uma mãe que pagava mensalidade mais cara porque o filho tem necessidades especiais. A instituição deverá ainda pagar R$ 3 mil a título de reparação moral.

    “Compulsando os autos, verifica-se que, de fato, houve falha na prestação dos serviços da demandada quanto à exigência de pagamento de mensalidade superior em razão das necessidades especiais do filho da demandante”, afirmou a magistrada, em decisão publicada no Diário da Justiça desta segunda-feira (6).

    A mãe ingressou com ação na Justiça alegando que seu filho é autista e que, por isso, o colégio vinha cobrando mais na mensalidade. A instituição de ensino, em contestação, argumentou que a criança necessita de cuidados especiais e que contrata uma auxiliar para realizar o acompanhamento do garoto.

    Na decisão, a juíza citou a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (nº 13.146/2015), segundo a qual a pessoa com deficiência tem direito de estudar em escolas públicas e particulares da rede regular de ensino, sem cobrança de qualquer valor adicional. “Assim, a conduta da demandada em exigir valor superior da mensalidade mostra-se indevida”, ressaltou.

    Além de determinar o pagamento da restituição e da indenização por danos morais, a magistrada declarou nulo o aumento no valor da mensalidade, devendo a mãe da criança pagar o valor correspondente à mensalidade padrão da escola.

Matéria referente ao processo nº 0000335-14.2015.8.02.0082

Diego Silveira
- Dicom TJ/AL
imprensa@tjal.jus.br - (82) 4009-3141/3240






















LEGISLAÇÃO E NORMAS